Fazes o tratamento de resíduos? Não?! Aprenda agora!

reciclagem_rodaExistem vários tipos de resíduos, os sólidos urbanos (aqueles que nós produzimos) e os considerados perigosos (hospitalares, industriais e radioactivos). Claro que nem todas as pessoas têm oportunidade de ter uma participação activa relacionada com os resíduos perigosos, mas podem (e devem) contribuir para a preservação do meio ambiente através dos lixos que produzem em casa.

Neste artigo vamos apresentar algumas soluções possíveis para a diminuição do valor que cada cidadão produz de lixo por dia (actualmente é de 1 quilograma). É importante referir que se esse número continuar a aumentar, tanto nós como o planeta vão ficar extremamente prejudicados, gerando uma sustentabilidade quase impossível.

A forma mais conhecida para tornar os resíduos em novos produtos úteis para o ser humano é a reciclagem. Aqui na nossa ilha temos os ecopontos, mas os marienses não são muito adeptos desta prática, principalmente pelos rumores dizendo que ‘o lixo vai todo para a lixeira’. Quando as pessoas dizem ‘lixeira’ e não ‘aterro sanitário’, como era suposto ser dito, não estão erradas. Nós já vimos o estado da lixeira e, de facto, não cumpre sequer o requisito mais vulgar para ser considerado aterro: ser INTEIRAMENTE coberto para que não polua a atmosfera.

Se tens quintais ou pastos e não sabes o que fazer com restos de folhas e plantas, porque não tentar a compostagem? Este processo consiste em juntar, por camadas, restos de plantas, folhas, cascas de frutos e legumes, sacos de chá, borra de café, cereais e restos de ervas, de modo a produzir um composto rico em minerais e húmus (matéria orgânica do solo). Esses materiais são chamados de biosólidos (resíduos sólidos orgânicos). Esta técnica é muito utilizada pelo agricultores pois produz uma matéria mais rica e de melhor qualidade.

Existem diversos tipos de compostagem, que resultam de diferentes exposições à humidade, microrganismos, luz solar e temperatura, o tamanho das pilhas que se pretende, o arejamento (é necessário a presença de oxigénio para não se libertarem odores desagráveis e acumulação de moscas) e ainda a relação do carbono/azoto. Se quiserem ler ainda mais pormenores sobre a compostagem (e esperemos que tenham ficado interessados), podem ir ao site da Wikipédia sobre a técnica.

Como dissemos acima, existem ainda outros tratamentos, mas estes são aplicáveis apenas para resíduos perigosos. Esses tratamentos serão explicados num outro artigo que está mais acima. Se fizeres a reciclagem e/ou a compostagem, acredita que já estás a contribuir muito para o ambiente. Se já o fazes, tenta incentivar as outras pessoas a realizarem esta técnica. Caso já tenhas feito isso, só nos resta dar-lhe os parabéns!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: